10º PROGRAMA ANUAL DO SERVIÇO EDUCATIVO

Ficção => MATÉRIA. FICÇÃO implica MATÉRIA. Durante todo ano o sinal => implica serviu para interpelar as paisagens e as pessoas.
Uma implicação no que se faz.
Connosco estão outras pessoas: professores, educadores, membros de associações, adolescentes, jovens em contexto pré-laboral, estudantes da universidade sénior que se implicam na vida humana e mais que humana que as rodeia, que gostam de a tentar perceber, de lhe fazer perguntas:
Como se concretizam as ideias?
Como as tornamos reais?
De que matérias precisamos para que aconteçam?
Precisamos de inventar matérias para mais ficções. E com a ficção…
Que matérias se criam?


P=>M . PROJETAR IMPLICA MOSTRAR

Porquê uma mostra em cartazes?

Cada cartaz expõe, de modo mais sintético, as fronteiras que se diluíram entre ficcionAR e materializAR nas várias abordagens e processos de trabalho.
Implicar foi (é) a marca do programa eu sou paisagem, ao longo das ações de participação de crianças, adolescentes, jovens, adultos e séniores neste projeto. Materializar ficções e imaginários pressupõe uma atenção bem forte às realidades que nos envolvem como modo de as viver com mais intensidade, e retroativamente, as matérias (do elástico ao tecido e ao som, da terra às pedras, da escrita, aos livros e aos filmes) expõem possibilidades mais elásticas para ficcionAR a vida, como possibilidade de a viver de mais modos e formas.

Há cartazes que sintetizam ações em imagens.
Outros são literalmente verbos para agir.
Os verbos escolhidos estão no modo infinitivo propondo, ao/à visitante, um convite a uma ação singular ou transitivamente coletiva. E são verbos-palavras, com palavras dentro. Verbos para IR e para respirAR, para respirar palavras compostas como as paisagens.

Uma palavra de enorme agradecimento aos participantes dos concelhos de Armamar, Peso da Régua, Vila Real, aos professores, educadores, membros de associações, que se implicaram nestas ficções que implicam matérias, que implicam pessoas que implicam… e, por sua vez, implicam … e, por sua vez, implicam… E que se implicam.

PROJETO

Programa e orientação: Marisa Adegas, Filipe Marado, Samuel Guimarães (coord.)
Convidados: escrita - Fernando Giestas | teatro – Inês Vicente | arquitetura paisagista – Carla Cabral | genética e biotecnologia (UTAD) – Isaura Castro e Fernanda Leal

MOSTRA

Ideia e montagem – Filipe Marado, Samuel Guimarães, Marisa Adegas , Carlos Mota Design de comunicação – Artur Matos

GRUPOS PARTICIPANTES

Armamar
Conceição Martins, Edite Ribeiro, Maria Florinda Rodrigues – JI Armamar |Alice Sousa, Arminda Cardoso – Escola Básica José Manuel Durão Barroso

Peso da Régua
Céu Marques – JI Galafura | Lina Barros, Cátia Cardoso, Susana Meireles, Gabriela Guedes – JI Santa Casa da Misericórdia | Maria do Céu Ramos, Célia Ferreira, Mariana Meireles – Centro Escolar Alameda | Maria Irene Guedes, Maria Isabel Fernandes, Hélmer Oliveira – EB 2,3 de Peso da Régua | Artur Matos – ES /3 Dr. João de Araújo Correia | Cármen Vale – Universidade Sénior

Vila Real
Eugénia Necho – JI S. Vicente Paula 1 | Lúcia Gonçalves – JI Nº 2 Vila Real | Isabel Rego – JI Timpeira


OUTROS PROGRAMAS 2016

NOS CONCELHOS DE ALFÂNDEGA DA FÉ, ALIJÓ, CARRAZEDA DE ANSIÃES, LAMEGO, MACEDO DE CAVALEIROS, MEDA, MESÃO FRIO, MIRANDA DO DOURO, MIRANDELA, MOGADOURO, MURÇA, SABROSA, SANTA MARTA DE PENAGUIÃO, S JOÃO DA PESQUEIRA, TABUAÇO, TORRE DE MONCORVO, VILA FLOR.

Ler debaixo da árvore | Percursos – vinha, mata, ferro, cidade, rio| Paisagem => Cinema | a 1º semana do mês – oficinas experimentais | bios – biografias – municípios de Trás-os-Montes e Alto Douro


AGRADECIMENTOS

Ana Miranda, Carlos Mota, Carolina Ferreira, Filipe Barros, Maria do Céu Adegas. Às câmaras municipais e juntas de freguesia envolvidas pelo apoio nas deslocações e transportes. E a todos os que, de vários modos, colaboraram e construíram connosco este projeto.